Diretório

Associação dos Pescadores do Arquipélago dos Bijagós

Associação dos Pescadores do Arquipélago dos Bijagós
APAAB
  Nacional , Internacional
apaab@gmail.com
966571105

A Região Bolama é um Arquipélago, designada “Arquipélago dos Bijagós”, é composta por 90 ilhas e ilhéus, dos quais, 42 apresentam uma superfície mais importante. Dentre as 42 ilhas, 21 são habitadas permanentemente, por 32.424 habitantes, (último censo de 15 à 29 de Março de 2009 e, as outras 21 são ocupadas sazonalmente.

A sua superfície é de 10.000 Km2 dos quais 1.600 Km2 são bancos de areia e baixios, 3.000 Km2 são de mangrove e 300 Km2 são ocupados por palmeiras.
A ideia da criação da Associação para a Promoção da Pesca Artesanal nas Ilhas dos Bijagós - ONGD APPAB, remonta aos anos de 2002, que marca uma etapa marcante e decisiva na história e na evolução (da mentalidade) quase generalizada no Arquipélago dos Bijagós. Trata-se de um fenómeno de, mudanças operadas na consciência dos habitantes das ilhas, conduz ao nascimento oportuno de uma Organização vocacionada a intervir na área social, a fim de tentar colmatar as lacunas notáveis na vida social das populações locais, relativamente, a melhoria da dieta alimentar e de vida da comunidade das ilhas.

A razão da criação desta Associação, foi marcada pela ausência total de oportunidades que os pescadores e peixeiras das ilhas sentem, falta de materiais e apetrechos de pesca, falta de espaços de trabalho e condições de conservação e comercialização dos pescados. Este conjunto de preocupações, reflectiu sobre um grupo de pessoas idóneas, achando que deve haver alternativas para inverter a situação. Pois, é nesta lógica que surgiu notadamente a ideia de criação da APPAB – “Associação para a Promoção da Pesca Artesanal nas ilhas dos Bijagós”.

Esta ideia surgiu de uma profunda reflexão e através de uma análise da situação precária que os pescadores e peixeiras das ilhas atravessam, visto que, enfrentam dificuldades enormes no exercício das suas actividades, porque falta tudo: materiais para os pescadores, sistema de conservação, meios de comercialização dos produtos, meios que lhes facilitariam e proporcionariam uma orientação nas suas actividades e, que lhes permitiriam um bom crescimento em termos do negócios e melhoria da dieta alimentar da comunidade das ilhas.

Esta ausência de meios, está a suscitar algumas reacções negativas; os pescadores diminuídos pela ausência de meios, refugiam nas bebedeiras e outros vícios que se não for tomada medidas remediativas antecipadas, poderão entrar no colapso da vida dos marginais. As bideiras, sem meios de conservação dos pescados, são obrigados movimentarem semanalmente a Bissau em busca de gelo, nos transportes frágeis e com muitos riscos de vida. Neste contexto, viu-se que é urgente uma intervenção estratégica, de forma a poder cortar pela raiz esses perigos sociais.

Viu-se que tem toda uma necessidade de aquisição de uma unidade frigorífica para a conservação dos pescados, assim como apoiar os pescadores nos meios materiais para o exercício das suas actividades piscatórias.

Missão
Promover oportunidades de desenvolvimento pessoal, cidadania e iniciação profissional para jovens em situação de vulnerabilidade social, por meio de parcerias com empresas e organizações.

Ser a maior e mais completa rede colaborativa para a transformação de jovens em vulnerabilidade social.